Pesquisar este blog

Follow by Email

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Mais um episódio de "Mistérios da Fé": Petróleo brasileiro.

Uma das questões atuais que o brasileiro mais tem dificuldade em responder é: “Por que o Brasil produz tanto petróleo e, mesmo assim, gasta muito com petróleo importado?”

Leitor, peço compreensão, porque não sou Engenheira de Petróleo, não trabalho com energia, não fiz especialização na área, mas tenho acompanhado o caso e estudado por conta, então, os pouparei de números que não tenho, mas tenho fatos.

Em primeiro lugar, posto a reportagem que nos mostra o aumento da produção de petróleo no Brasil:
O Brasil nunca produziu tanto petróleo

EM 2011, FORAM PRODUZIDOS 768 MILHÕES DE BARRIS DE PETRÓLEO E 24 BILHÕES DE METROS CÚBICOS DE GÁS NATURAL, O EQUIVALENTE A 919 MILHÕES DE BARRIS DE ÓLEO EQUIVALENTE; FRUTO DE UM CRESCIMENTO DE 45% NOS ÚLTIMOS 10 ANOS, NÚMEROS SÃO RECORDE
03 de Fevereiro de 2012 às 05:11
Agência Brasil - Em 2011, foram produzidos pelos 9.043 poços em operação no país 768 milhões de barris de petróleo e 24 bilhões de metros cúbicos (m³) de gás natural. Os números são recorde, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), e correspondem à produção de 919 milhões de barris de óleo equivalente (boe). O resultado representa um aumento de 2,5% em relação à produção de 2010 de petróleo e de 4,9% sobre a de gás natural.
Nos últimos dez anos, o crescimento verificado na produção de petróleo no Brasil foi de 45%, enquanto a produção de gás natural evoluiu 55%.
Segundo dados da ANP, foi recorde também a produção de petróleo e gás natural em dezembro: 2,214 milhões barris por dia e 71 milhões de m³ por dia. O aumento alcançou 1,6% na produção de petróleo, em relação a dezembro do ano anterior, e 1,2% em comparação com novembro de 2011. Com relação ao gás natural, a produção de dezembro ficou 3,1% acima da apurada em dezembro de 2010 e 5,1% da produção de novembro.
Roncador, na Bacia de Campos, foi o campo com maior produção de petróleo no ano passado. Já a maior produção de gás natural foi registrada em Rio Urucu, na Bacia do Solimões, na Floresta Amazônica. De acordo com a ANP, 91,2% da produção de petróleo e gás natural do país são oriundos de campos operados pela Petrobras.
Na novíssima fronteira do pré-sal, nove poços já estão em operação, oito deles já incluídos na lista dos 30 poços mais produtivos do país.


Mistério da Fé? Não! Continha simples novamente. Vamos lá:

APESAR da reportagem acima indicar o que temos visto, que a produção subiu, continuamos gastando demais com petróleo. Por que?

Nosso óleo, o citado na reportagem, é denso! Pesado. Quem tiver a oportunidade de visitar uma plataforma de extração, perceberá que aquilo que sai do fundo do mar é bem parecido com aquilo que as prefeituras jogam no chão para fazerem recapeamento: PICHE.

Já experimentou colocar piche no seu carro e ver se roda? Não roda! Não tenha essa despesa mecânica tentando demonstrar que estou errada. Não roda, prometo!
O que faz o seu carro rodar? Aquele combustível clarinho, que sai da bomba de combustível? É! E esse? Sai do fundo da nossa costa? Não!

Se o Brasil produz tanto petróleo, por que não estamos ricos como os Emirados Árabes? Porque o óleo extraído naquela região sai clarinho, leve, quase pronto para só ser colocado na bomba e nos fornecer energia! Alguém já tinha se perguntado por que o mundo inteiro tem interesse em invadir, bombardear, dominar, aquela região? Aqui está o esclarecimento! Se eles extraem tão facilmente e um produto tão bom, é assim que acontece. E no raso!

E o petróleo brasileiro? É inútil, então?

Não, leitor! Não é inútil, não podemos ficar sem e gera receita, sim! Mas tem um “mas”, e essa parte não é divulgada. O “mas” é o custo de extrair o nosso óleo e mandarmos refinar fora.

Nosso óleo, por ser pesado, necessita de técnicas de refino que não temos. Consequentemente, temos que enviar parte dele para ser refinado fora, e o refino exige tecnologia e dinheiro, porque precisa ser muito bem feito.

Está descoberta a fórmula da despesa. Extraímos um óleo barato, por ser de baixa qualidade e temos que transformá-lo em óleo de alta qualidade e reimportar! Pronto! Está explicado o fenômeno de produzirmos tanto e importarmos tanto, ao mesmo tempo.

Maiores informações? Procure a Petrobrás. Mas peça os dados reais, não os preparados para serem publicados pela imprensa.

Esperando ter ajudado,

Filhinha de Papai 

2 comentários:

  1. Parabéns, vamos em frente. Municie seu blog. Está na hora

    ResponderExcluir
  2. se o petróleo é de @#$%!! qualidade, pelo menos a propaganda é de uma capacidade quase Hitlerista.

    ResponderExcluir