Pesquisar este blog

Follow by Email

quinta-feira, 8 de março de 2012

Feliz dia Internacional da Mulher? Talvez.

Hoje é “Dia Internacional da Mulher”.

Compreendo a criação da data. Nos tempos antigos, as mulheres muito faziam e nada recebiam.  Não podíamos nos separar de nossos maridos, não podíamos votar, não podíamos ter graduação superior, não podíamos votar...
Não fosse tudo isso, ainda tem o fato da mulher ser mais frágil fisicamente, o que leva a todos a pensar que a mulher não só quer, mas necessita de tratamento especial.

Não deixando de parabenizar às minhas amigas heroínas, que carregam seus mundos nas costas, e MERECEM um dia para elas, vou falar das demais, das mulheres que se aproveitam do gênero, de maneira menos louvável!

Hoje, amargamos num período delicadíssimo em nosso país, com uma avalanche de denúncias e uma avalanche maior ainda de impunidade! E temos em nosso “comando” a primeira MULHER a ser presidentE do nosso Brasil.
Abusando da condição de mulher, a presidentE, do alto de sua interminável soberba, chegou ao cúmulo de mandar alterar a Língua Pátria, para se afirmar como gênero forte. Ignorando que as terminações “ente” servem aos dois gêneros, ela ordenou que se mudasse a regra linguística.

Não satisfeita com o assassinato à língua, ela foi mais longe: quando pôde, nomeou mulheres, nem sempre adequadamente competentes, para integrar sua equipe. Ainda não satisfeita, ordenou que determinadas entidades da União Federal CRIASSEM novos cargos, para acomodar os termos que inventou. Então, se estas entidades da União possuem apenas “GerentEs”, “SuperintendentEs”, “PresidentEs”, que se criem os mesmos cargos, mudando a terminação para “tAs”.

A ÚNICA utilidade que vejo na ação, é reforçar a soberba da suposta líder, que pouco lidera.

Parabéns Dilma? Parabéns Gleisi? Parabéns Ideli? Parabéns Eleonora? Parabéns Miriam?

Não! Não tenho homenagens para esse tipo de mulher!

Tenho homenagens a prestar às mulheres que batalham, lutam por melhores condições de vida para si mesmas e os demais, aquelas que ajudaram a construir bases sólidas, às que possuem sensibilidade aliada à inteligência, às que não se aproveitam da condição de “ser mulher”.

Ontem, declarei a um colega no twitter: “estou com vergonha de ser mulher”.  Graças ao comportamento exacerbado em cima do assunto, promovido pela presidente Dilma, hoje eu realmente me envergonho.
Fico mais envergonhada ainda se ela, Dilma, considerar que somos “do mesmo time”.  Eu não tenho nada a ver com mulheres deste tipo! Não me representam, não me orgulham!

Parabenizo, ainda, às prostitutas! Sim, essas eu respeito! Declaradamente, TRABALHAM com seus corpos, sem enganar a ninguém.

De resto, tem muita prostituta por aí, achando que é melhor do que as profissionais declaradas. Para essas, não desejo um belo dia. Desejo, sim, vergonha na cara!

Hoje, parabenizo, de coração, os HOMENS! Que estão sendo condenados apenas por serem homens! Parabéns pela paciência!

Mulher, sim, mas muito feliz sem precisar de homenagens vazias,

Filhinha de Papai

Um comentário:

  1. Parabéns às mulheres! Acho uma imbecilidade dizer que o mundo não existiria sem as mulheres, o que é uma obviedade, não pelo mundo em si, mas pela humanidade; bobagem dizer que homem é gênero menor porque não carrega a vida no ventre, como se isso fosse uma opção e não uma determinação natural; que mulheres têm tripla jornada, como se isso também não fosse uma opção e que os bons homens também têm suas tríplices jornadas, como pais, trabalhadores e resolvedores dos problemas cotidianos de casa, banco, contas, manutenção do carro,... As mulheres merecem os parabéns pelo seu dia pelo que elas são e não pelos pseudo-castigos que sofrem. A data é uma homenagem àquelas que sofreram em busca do respeito ao gênero e não às Dilmas, Idelis e outros monstros travestidos de fêmeas que infestam a humanidade e envergonham o gênero feminino.

    ResponderExcluir