Pesquisar este blog

Follow by Email

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Os reis das bananas se embananam e acham que vão arrotar....Iphone 5?


Título confuso? Explico, claro!
Hoje a amiga pergunta, pelo twitter “...como se sente de volta à banania city?”. Como me sinto, Tatinha? Tive que responder que estou enojada, como sempre! Mas, confusa, confesso, porque me sinto um pouco menos mal em relação aos absurdos brasileiros. Porque eu andei vendo uns absurdos por aí! Ser humano é podre, mesmo, né? Sente-se melhor quando está na desgraça mas percebe que não está nela só. E foi assim.

Andei por aí! Sempre que salvo um trocado, vou estudar outras culturas e civilizações. Dessa vez, a crise alheia fez com que a minha não ficasse grande, de maneira que deu para conhecer um pouco de Grécia...no auge do estouro da crise deles, que não se aproxima desde ontem nem foi novidade de 2012. A “coisa” vem se agigantando e, como ficou na moda dizer, bolhas, quando se inflam demais, estouram. Será que a crise grega chegou em um ano, dois, três? Hum...vejamos:

Não, não é um processo rapidinho, nem acontece do dia para a noite, endividar um país a ponto de ele vender partes de seu território para repor o tesouro, sem reserva monetária. Depende de alguns fatores e não é obra exclusiva de governos incompetentes! Para aniquilar as finanças de um país sem um grande acidente natural, sem guerra, sem uma inusitada invasão do vizinho, é preciso uma enorme força, conjunta, de uma série de pessoas fazendo escolhas bem erradas!
Ao longo de aproximados dez anos, população, vizinhos europeus e governo grego, fizeram a lambança geral que culminou na crise atual. JUNTOS! Ninguém tem mais ou menos “culpa” por ali! São papéis diferentes, numa lambança comum que atinge, como sempre, não à toda população, mas principalmente à classe média. No caso deles, a baixa caiu junto, porque caiu todo o governo. Mas o rico...continua rico e o país continua CARO! Para todos!
Posto aqui, a foto que bati da parede de um prédio de representação estrangeira, em área ultra nobre de Atenas:




Um mundo globalizado, uma nova comunidade de comércio, trânsito e finanças (quase) que nasce cheia de promessas (depois de um planejamento de aproximados 40 anos, até a consolidação do que vemos hoje como União Européia. “Planinhos” financeiros desses demoram um pouquinho para acontecer) de segurança e prosperidade para todos os seus membros e belos cenários lindos e estáveis para os demais mortais do planeta. Bonito! No papel funcionava bem à beça!

Tinha Iphone 4, saindo no mesmo ano de lançamento do Iphone 4S, que sai no mesmo ano de lançamento do Iphone 5....e o povo entra na fila três vezes no MESMO ANO para TROCAR DE CELULAR? No primeiro plano da União Européia, tinha?
Tinha a previsão de que o governo é feito de humanos que gostam MUITO de dinheiro?
Tinha o fato de que alguns países produzem muito mais que outros e são, naturalmente, muito mais potentes financeiramente que outros? Tinha! Isso tinha! Mas previram que o vizinho que é pouco potente ia querer levar a vida igualzinha à do vizinho grandalhão e poderoso? Ah, isso não tinha!
Tinha, junto às análises e previsões cambiais para balizar o comércio do acordo, que o ser humano reage de uma maneira bem previsível quanto ao CONSUMO? Tinha escrito lá que governo, povo e todos, todos, iam sempre querer mais coisas que nem sempre precisam ter?

Pois um povo iludido, acreditou num plano mirabolante, apoiou um governo que apoiou a parte mais mirabolante do plano e, governo inchou máquina e conquistou simpatizantes, entupindo servidor público dos melhores salários da nação (alguém já viu esse filme?), assistiu aos coitadinhos encostados com toda excelência (esse? Alguém viu?), para isso, queimou as reservas da nação e pegou dinheirinho a jurinhos “módicos” nos vizinhos potentes, para dar vazão a toda aquela alegria de altos salários públicos, muito financiamento, e muito estímulo para que o povo também pegasse dinheiro emprestado, afinal, eram todos bonzinhos nessa história!
Só que o castelinho ruiu! O país não tinha, como eu disse antes, potência para sustentar o caro circo que armou. O dinheiro precisa ser devolvido. O governo endividado e sem recurso nenhum, agora, para pagar sua megalomania, cortou salários, benefícios, assistências... outras pedrinhas do dominó caíram e empresários também foram obrigados a cortar. Pronto! País que achava que tinha dinheiro mas o que tinha era só crédito, quebrou! E esse filme? Será visto em telas brasileiras em breve?

Industrializou com responsabilidade, a Grécia? Investiu em Educação de base? Desenvolvimento? Pesquisa? Não!  Ah, sim! Mas é o berço da civilização, então, no meio do caminho do povo gastão com governo irresponsável, teve também aquele ataquezinho de megalomania, chamado “Jogos Olimpícos”. Aquela continha barata para o país, que saiu para Londres, poderosa e cheia do dinheiro desde sempre, aproximados 12 BILHÕES DE LIBRAS (segundo dados oficiais. Línguas dizem que é o dobro)! Os ingleses estão xingando por três gerações! Calculem os gregos, que eram bem mais pobrinhos, em 2004! E estavam no meio da lambança da gastança!

Deu no que deu! No que está dando hoje em todos os telejornais brasileiros, diariamente! Greve por todos os lados, o povo vendendo criança porque não pode mais se dar ao luxo de sustentar 3 filhos, pensões cortadas em 60%, salários em 50% e o custo continua alto. Para alguns, até subiu, em função das altas taxas de inadimplência que forçam efeito cascata. Os banquinhos bonzinhos dos vizinhos? Querem RECEBER os montantes deles! Nunca foi caridade! Não era para ser!

Dá para culpar SÓ o governo ou os bancos? E o grego inconsequente, que caiu na esparrela governamental e corporativista, é inocente?

Inocência é desculpa de gente idiota para dizer que fez caquinha por falta de conhecimento! Eu prefiro dizer que errei porque escolhi mal, do que dar a desculpa porca de que errei porque eu tinha a OBRIGAÇÃO de saber mais sobre a MINHA vida, das MINHAS finanças e do MEU futuroe não fui pesquisar para saber qual escolha adotar!

Amanhã é nossa vez! Sediar uma Copa do Mundo de Futebol que esfumaça a desgraça todinha do país e, de quebra, entope os cofres da Nike e amiguinhas de dinheiro (para eles pagarem 10 centavos por hora para o chinês semi escravizado costurar o seu tênis super maneiro e que custou mil reais!), rasga as leis do país para permitir o patrocinador dentro dos jogos (liberaram a cervejinha de volta, lembram?) faturando litros, para o povo continuar sem segurança, sem hospital, sem escola....e o exército garantir os chefes de Estado de fora durante dez dias! Mas o povo achou lindo e parou de trabalhar no meio do expediente para ir bater palma na praia, porque o Brasil foi “escolhido”! Ohhh!!! Escolhido para pagar a conta, só esqueceram de dizer!

Ah! E em 2016 tem a megalomania grega que acabou de endividar por lá, por aqui! Jogos Olímpicos no Brasil! Ééééé! No Brasil! Aquele país tão tradicional nos esportes olímpicos que leva 259 atletas (fora o resto da delegação, que também saiu baratinho do nosso bolso!) e volta com...NOOOSSSA! DEZESSETE MEDALHAS! Que beleza, hein! Que feito! Até o Cazaquistão fez muito mais bonito! Mas muito!

E eu tenho que ter a dor de ler de um amigo culto que os eventos são importantes para o país! SERIAM, se desse para chamar isso aqui de país, primeiro! Por enquanto, é pardieiro! Apagão geral em Dezembro, AEROPORTO internacional sem ventilação E iluminação, mortos e mais mortos por corredores em hospitais, gente morrendo com café injetado na veia por engano em hospital, chacina todo dia por vários cantos geográficos e policial morrendo aos montes executado por facção criminosa e...claro! Importante mesmo é ganhar um dia de folga no trabalho para ver o Brasil jogar! ESSA realmente deve ser a prioridade e um país tão carente quanto o nosso, então, deve mesmo promover eventos que seu povo demore 4 gerações para quitar, financeiramente! Afinal, sem hospital, pode ser que paremos de pagar a dívida antes (de repente não sobra ninguém vivo, vai saber!).

Os gregos me pediram: Conscientize seu povo!!!
Estou tentando, pessoal! Colaborem um bocadinho, por favor!

Com um pouco menos de desesperança,

Filhinha de Papai

Um comentário: